Acima de tudo, eu

Eu posso mais do que você. Não é nada pessoal, é apenas uma constatação. Eu posso fazer tudo que quero, posso desrespeitar as leis (e, principalmente, os outros) e ninguém vai ligar pro que eu estou fazendo.

Posso acordar pela manhã, pegar o meu carro e andar pela rua despreocupado, olhando mensagens engraçadas no celular, dirigindo à 30 km/h numa via de 50 km/h. Não ligo que você está atrás de mim, querendo continuar seu percurso. Se eu estiver atrasado posso me concentrar de novo na direção e andar a 80 km/h, buzinando e dando sinal de luz para aqueles que não me dão passagem imediata.

Para deixar o meu filho na escola, ignoro as placas de proibição de estacionamento, feitas para gente como você, não como eu. Paro, dou as instruções para ele (poderia ter feito em casa, mas fazendo na frente do colégio em horário de pico é melhor, pois tenho a certeza que ele não vai esquecer) e espero ele entrar na escola. Depois de conferir novamente as redes sociais, decido sair dali com rapidez.

Prefiro não usar a seta. É incômodo e não me traz vantagem nenhuma ficar sinalizando para onde vou. Meu carro é grande e você vai perceber que eu estou mudando de faixa. A obrigação de estar atento é sua, não minha.

Depois de trabalhar, chegou a hora de buscar o infante novamente. Chego dez minutos mais cedo e fico parado em fila dupla, atrapalhando o trânsito para todas as pessoas que não são como eu. Alguns insolentes buzinam e me xingam. O que faço de errado? Nada, a via é pública, ou seja, a via é minha e eu uso ela como eu quiser. Depois de perguntar tudo sobre o dia do meu querido filho, saio rapidamente, sem me preocupar com quem está ao meu lado, atrás ou na minha frente.

Não é que eu seja melhor que você. É apenas como eu vivo a minha vida.

Ass:
Qualquer pessoa que se considera classe média-alta, que tem um carro que vale mais de 100 mil reais ou, via de regra, um idiota qualquer